Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Email

Blog por mail

Amor psicopata

21.01.12

É encantador... Chega como quem não quer nada, fala coisas bonitas, sabe as palavras certas nas horas certas... Aparentemente é sensível e entende como ninguém a mulher... e a faz se sentir única no Universo. Muito carinhoso, a eleva tão alto que a faz acreditar que é um anjo ou uma rainha, e que o mundo é cruel por não perceber isso. Lhe elogia, lhe agrada, aflora seus desejos mais secretos, lhe faz pensar que nunca teve mulher que chegue aos seus pés. Diz que vai cuidar de você como merece. Lhe envolve de tal forma que fica difícil acreditar como conseguiu viver sem ouvir tudo aquilo e viver tudo o que sempre sonhou. Começa a se desvalorizar e a dizer que você não merece um homem como ele. Se faz de sonso e de derrotado. Lhe convence que terão uma vida juntos pra sempre e que ninguém vai impedir isso, mesmo se você for comprometida. Ele largaria tudo por você e lhe convence do mesmo. É canalha, sedutor e carismático. Lhe convence que "certos" amigos não são bons pra você e insinua que é melhor se afastar deles, pelo menos por enquanto... E você obedece. Diz que pra confiar, um tem que falar tudo do passado pro outro. E você obedece. Ele sempre se diz vítima e você acredita. É bondoso e você fica comovida. Confia nele seus amores passados, detalhe por detalhe e ele lhe ouve atentamente. Passado um tempo, lhe pergunta tudo de novo, e você repete tudo, só que agora ele lhe testa de uma forma que você não tem certeza se falou tudo ou não. A primeira briga. Diz mais uma vez que pode confiar nele e que quer só cuidar de você. Obedece. Pergunta mais uma vez sobre antigos relacionamentos com todos os detalhes, querendo comparações entre os antigos e ele e começa a não confiar tanto em você. Briga. Tarde demais, você já está tão envolvida que sente nojo de seu passado. Se arrepende de tudo que fez e lhe  pede perdão. Acha melhor você se afastar também de sua família, que deve estar conspirando contra vocês dois. Obedece. Começa a implicar com suas roupas. Muda seu modo de vestir, de falar, de agir, muda sua vida. Obedece e nem percebe. Depois de um bom tempo juntos, você não tem mais graça pra ele... Começa a implicar todos os dias, dizendo que você não é bem aquilo que ele imaginava, mas continua lhe proibindo de tudo. E continua obedecendo, pois acredita que ele é o homem de sua vida. Aos poucos você vai definhando, não sai de casa, é humilhada todos os dias, às vezes apanha... Mas à noite na cama ele te leva às estrelas e a faz se sentir uma rainha... Mas só à noite. Repete todos os dias que você tem muita sorte de estar com ele, pois não presta e ninguém mais nesse mundo vai lhe querer. Quando percebe, acabou sua vida, seus amigos lhe abandonaram, não tem mais contato com sua família, ou seja, vive a vida dele, enclausurada e sem chances de fugir, pois ele é o homem de sua vida, aquele que lhe trata tão bem à noite, na cama, no sexo, nas palavras carinhosas, com seus filhos... E só! Isso sem falar que muitos "matam" suas companheiras por ciumes. Infelizmente isso é cada vez mais comum. Como sair dessa? Como se livrar de um psicopata? É difícil. Pra muitas é até impossível, pois abandonaram até o emprego. Tenha sempre em mente... O amor não cobra nada, ele simplesmente existe junto com o respeito. Por que você tem que mudar seu jeito de viver pra viver a vida de uma outra pessoa? Será mesmo que existe uma pessoa na nossa vida? Amor eterno? Eu não acredito! O ser humano é dotado de amar muitas e muitas vezes. Alguns ficam na memória como eternos, outros não gostamos nem de lembrar, mas geralmente são amores diferentes, dependendo da afinidade. Não é fácil encontrar, os casamentos nem duram tanto assim, a sociedade cobra muito e a carência faz com que a mulher aceite o que está próximo. Claro que não vale a pena. Se ame primeiro e depois compartilhe isso com o outro. É perigoso uma pessoa assim, pois age tão naturalmente, é tão amável com os outros que nem tem como reclamar, pois a pessoa é tão bondosa com os outros que faz a mulher se sentir a mentirosa, a exagerada da relação. Mas quem vive em quatro paredes? Então a decisão é sua. Amores vêem e vão, acontecem ao longo de toda a vida e não são eternos (isso é uma opinião minha). De olho... primeiro você, depois o outro. Compartilhar e não satisfazer. Amar e ser amado e não se entregar pra outra pessoa, como um pacote a ser vigiado. Boa sorte, pra todas nós!

http://blogsimpleseclara.blogspot.pt/2011/08/amor-psicopata.html?m=1

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Hits

drupal stats

googlr